Você, como diversos brasileiros, segue antenado nos acontecimentos das Olímpiadas de Tóquio 2020? Sabia que essas são as olímpiadas mais sustentáveis da história? Confira o texto completo que nós te explicamos o porquê.

Que o Japão é um dos países mais focados em contribuir com o meio ambiente quase todo mundo sabe. Mas que eles trouxeram toda essa sustentabilidade para a maneira que conduziram a organização dessas olímpiadas é novidade para muita gente. Foram diversas atitudes pensadas em conscientizar, reaproveitar e reduzir desperdícios com o evento. Separamos algumas delas.

Começando pelo slogan do evento: “Be Better, Together” – que em tradução livre seria “Sejamos Melhores, Juntos” – levando a ideia de que para cuidarmos do meio ambiente é preciso de um esforço coletivo. A tocha olímpica que possui peso de 1,2kg foi produzida com 30% de resíduos de alumínio. Já as medalhas, além de serem muito valiosas para os competidores também possuem grande valor para o planeta, já que para serem fabricadas foram utilizados metais preciosos recuperados de mais de 6 milhões de celulares descartados.

Se as medalhas dos campeões foram feitas pensando no meio ambiente o pódio que eles sobem não poderia ser diferente né? Os pódios foram feitos a partir de uma impressora 3D, utilizando plásticos reciclados doados pela população ou retirados do oceano. Assim que o evento acabar, boa parte desse plástico será doado e o resto será transformado em embalagens de shampoo e detergente.

Não só nas competições a sustentabilidade foi pautada, mas também na moradia dos atletas. A vila olímpica foi toda construída visando reaproveitamento e em ter o mínimo de desperdício possível. A praça por onde os atletas transitam foi construída a partir de madeira reaproveitada doada por 63 municípios e será devolvida após os jogos. As camas dos atletas ficaram conhecidas na internet por serem feitas de papelão, porém de uma forma bem resistente e contando com colchões de polietileno, composto químico reciclável.

Além da moradia, o dia a dia dos atletas também contam com alternativas para reduzir desperdícios. Eletrodomésticos, como geladeiras e televisões, foram alugados apenas quando solicitados, já que as áreas de refeição do evento já possuíam estrutura necessária para isso. Os aparelhos de ar-condicionado dos quartos dos atletas serão doados para vítimas de terremotos e tsunamis. Os transportes também ajudam o meio ambiente, sendo utilizados veículos elétricos e autônomos, facilitando a locomoção pela vila.

Com essa atitude o Japão mostra como é possível, não só um futuro, mas um presente onde toda a sociedade age de forma sustentável funcionando como um coletivo. Essas ações nos inspiram para mudarmos nosso estilo de vida nas pequenas coisas do dia a dia.

Para conhecer mais conteúdos como este, acesse nossas redes sociais.